quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Palavrear

Vejo a palavra como instrumento mágico, como objeto poderoso. Sua utilização pode ser fatal ou salvadora.
Você pode manusear a palavra como bálsamo reparador, como instrumento de tortura, como massageador do ego, como bandeira da paz.
Através das palavras você pode ensinar, repreender, assumir, declarar, encantar, assustar, findar, conquistar, abençoar, enxotar, delatar, ressaltar e até mesmo nada expressar.
Palavras destrutivas são armas de alta periculosidade;
palavras mal professadas são agentes agressores capazes de aniquilar;
palavras de incentivo ou encorajadoras são alicerces para possíveis construções;
palavras incitadoras podem remeter a guerra;
palavras excitantes são prólogos do prazer;
palavras de auxílio são pronto socorro, injetam esperança.
As palavras já muito valeram para todos, quando oferecidas como crédito. Ao meu ver, continuam a valer... acredito no seu poder, na sua força constante de mudar o mundo sem derramar sangue.
É através delas que muitas vezes descubro de mim, dos outros, das verdades mais contidas, oblíquas e turvas.
Até mesmo quando se ocultam, muito compreendo, sei exatamente o que querem denotar.
Viciada como sou em me expressar, palavrear é uma droga que compõe fragmentos do que sinto, que rompe o silêncio e grita: eu existo, não quero calar o meu coração!
Humana que sou, desabafo, defendo, sacudo, erro, urro, berro.
Se a escrevo, não estou só... afasto a melancolia.
Tenho-na como companhia, que se revela pouco a pouco, linda, minha, original, expressiva. As vezes uma, as vezes o conjunto delas... eternizando o momento único daquele pensamento que não voou no vento, não se perdeu.
Quando utilizo as palavras, arranco toda a minha essência, coloco-me in natura, translúcida, a vontade... fico a mostra, sem reservas, sem receios... apenas Eu.
Eu, fluindo de mim... completamente arraigada no presente, aqui, para você.
Flávia Barbosa

9 comentários:

  1. Olá Fadinha
    Como diz Diane Ackerman:
    As palavras são pequenas formas no maravilhoso caos que é o mundo. Formas que focalizam e prendem ideias, que afiam os pensamentos, que conseguem pintar aquarelas de percepção.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. Lindotexto,Fadinha! E as palavras tem tanyto poder...Podem alegrar, entristecer...dar paz! beijos,chica e lindo dia!

    ResponderExcluir
  3. Flávia. Realmente acredito muito na força que tem uma palavra. Se bem empregada, faz milagres. Se mau empregada, destrói, machuca.

    e no blog é um espaço tão bom pra gente usar as palavras pra falar da gente. do que vivemos, do que somos, do que acreditamos...

    bom dia! e manda um bjao especial pra Ana Luiza!

    ResponderExcluir
  4. texto perfeito!!! A palavra tem um poder enorme, ela tem a capacidade de te deixar bem ou mal,de te curar ou ferir.Bjuss

    ResponderExcluir
  5. Salve! Amiga

    Bem hajas pelos votos para o Santiago!

    As palavras são a essência da Magia. A magia do mundo e da vida se constrói com palavras. Já o tal Livro diz que tudo veio do Verbo, que era o início.

    Através da palavra sentimos e aprendemos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Palavreando pra dizer que adoro vc!!!!
    Bjs grandes...
    P.S.:Procurei o Elfo no layout...pra onde ele foi???

    ResponderExcluir
  7. Oi Flávia!!!
    Adorei o texto!!
    As palavras têm poder.
    E suas palavras lá no "balanço" me fizeram muito contente hoje!!!
    Pode acreditar! :D
    Já estou te seguindo tb.
    Beijo grande

    ResponderExcluir
  8. As palavras são instrumentos que usamos para fazer propagar as nossa ideias, por isto acabam sendo tão variadas...

    Fique com Deus, menina Fadinha.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. há mim suas palavras tem sido,
    alimento pra alma...

    ResponderExcluir


VOLTE SEMPRE!!!!
 
BlogBlogs.Com.Br