quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Sou

Você ainda não se acostumou comigo
Com  meus sonhos extensos, vibrantes, lúdicos...
Com a minha visão feliz do descontentamento, tirando proveito dos dissabores...
Com a minha euforia em olhar pra trás e perceber a progressão em toda a subida,
por mais ínfima que pareça ser.

Você ainda não se acostumou com a minha ânsia em ser feliz,
em acreditar na evolução dos corações,
em tolerar defeitos e olhar o lado bom dos seres,
em querer me dar por completo e verdadeiramente a todos que me encantam.

Você desconfia dessa bem querência que tenho em conviver por com tantos desejar viver
Do prazer que sinto em cozinhar com alquimia
temperando o alimento com uma pitada de mim
e esperando o  sorriso de aprovação, acompanhado de : "huuummm... mas que delícia!"

Você se assusta ao peceber-me tão forte nos instantes de fraqueza aparente,
e se estarrece mediante ao meu contentamento ao ver um simples latido ou miado gostoso, agradecendo um aconchego.

Você abomina todo esse meu dengo,
minha melosidade,
a minha fala cantada,
essa carência de filha única que sempre ronda-me
e reflete-me errôneamente tão pequena, mediante as respostas contrárias e negativas da vida.

Sou, porque sou eu,
porque não me incomodo nem um pouco em dar mais do que receber.

Sou assim, de grandes e simples valores,
importantes e singelos desejos.
Minha defesa não é o ataque... são as minhas atitudes contrárias as suas expectativas...
Sur-pre-en-der é o meu lema.

Não existo para agradar... já saí da vitrine faz tempo!
Sabe como é... artigo aprimorado a mais de 3 décadas, que não se fabrica mais...
que se assusta com o descartável;
que já caiu e levantou várias vezes...
que conhece e não se envaidece com falsos elogios
ou esmurece por um olhar de reprovação ou boca torcida.

Sou gente grande-menina
de essência verdadeira,
feita pra sentir,
sonhar,
emudecer quando digo um "te amo" enraizado, inesperado e sincero.
Capaz de fazer de aparentes estranhos
a indispensável e tão amada família.

Sou toda assim:
vícios e virtudes,
palavras e atitudes...
fusão de sentimentos... poeira no tempo,

Branquela anônima misturada na multidão.
Aquela baiana falante que suspira, ama
e, acima de tudo, tem muita fé.
Flávia Barbosa.

(para alguns parentes)

5 comentários:

  1. \o/ \o;/ \o/ Ela voltou. Que bom. seja muito bem vinda. Que tudo esteja muito bem com você.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Primeiro quero dizer que nesse seu intervalo eu li seu blog inteirinho, cada um dia um pouquinho e vou te falar, tava louca pra saber como vc estava.
    Em segundo lugar quero fazer 1 pedido: posso usar seu texto como descrição do meu orkut (com créditos, claro) suprimindo duas infos suas, as únicas que não são sobre mim nessa autodescrição sua (filha única e baiana)????? Please.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Deixando um XÊRO... rsss
    bejo
    Deussssssskiajude
    Tatto

    ResponderExcluir
  4. Ei Flavinha! que saudades minha amiga! vc voltou!!!
    que bom que foi tudo bem, que vc está conseguindo perder peso, vamos que vamos!!!

    tão feliz que vc voltou!

    (e quem não te entende, na verdade quer é te comprar, eles que se entendam com as cabeças confusas e fechadas)
    bjs

    ResponderExcluir
  5. E a fada voltou e com ela os contos de "era uma vez"...deixou de ser fantasia!!!!

    Ela é de verdade e voltou para alegrar nossos dias nesse mundo virtual!! E além disso,no mundo real!

    Saudades...te adoro!!!

    ResponderExcluir


VOLTE SEMPRE!!!!
 
BlogBlogs.Com.Br