sábado, 6 de novembro de 2010

cUIdar para não dizer ''Ui!''

Somos responsáveis pela conduta dos nossos filhos sim! 
Sei que monitorá-los em relação as companhias não é um fácil papel, ainda mais quando não queremos ser invasivos e temos a nossa própria vida para assessorar. 
Tenho duas meninas e ambas são de ouro. A adolescente, tem muitos camaradas e poucos amigos. Já quebrou bastante a cara e hoje, tem até medo de água fria. Prefere a convivência dos poucos amigos, o amor e a cumplicidade do namorado e a confiança na família. Ela é bastante consciente, muito pé no chão, e confesso que, várias vezes, chama a minha atenção quanto as minhas bem querências virtuais, em acreditar tanto e trazer para o meu real aquilo que não vejo. 
"Mãe, se ligue mais, viu?"- diante desse conselho e algumas experiências, procuro ficar mais atenta e passar adiante para a minha menor. 
Aprendo indescritivelmente com as minhas filhas. Aliás, estou sempre aberta aos aprendizados, procuro aprender com tudo! Outro dia estava observando aquelas formiguinhas que andam em carreira e param sempre na frente da outra. Penso que, vivendo elas na "sociedade das formigas", precisam ser educadas e respeitarem-se. Percebi que, mesmo sendo insetos, não passam uma por cima da outra e sempre cumprimentam-se durante um encontro. Pena que o mais inteligente dos animais, aja de forma avessa, negligenciando, extorquindo, mentindo, enganando, roubando, matando, passando por cima do outro através de meios ilícitos somente com o intuito de satisfazer os mais variados desejos e insanidades ocultas. 
Na era de distorções sexuais, onde crianças são alvo de mentes doentias, temo pelas minhas crianças. Por isso converso, oriento e acompanho. Não me importo se dizem que pareço uma menina no meio das minhas filhas, que mãe tem que ser carrasca, impositiva. 
Eu não! Sou mãe amiga e elas sabem disso! São bem jovenzinhas, mas compreendem desde já que para ser amiga, é preciso também saber dizer não, chamar atenção, ir de encontro a idéia da outra quando o caminho é visivelmente inseguro. Não compactuar com todas as atitudes do outro faz parte das boas amizades, e é isso o que faço. Uma mãe amiga também tem que se posicionar! Afinal, amigos não só dizem "amém". (atenção: fiquem atentos, verdadeiramente, aos que sempre são assim!) 
Ao assistir os jornais, vejo tantas informações de estupros, assassinatos e abuso sexual de menor! Isso me  amedronta e é nisso que penso quando estou cansada demais para ouví-las, ou quando elas procuram um carinho e eu estou sem paciência. Devemos ficar em alerta, pois temos a triste mania de só nos posicionar depois do mal instalado. Temos que saber ser preventivos!
Ao ler o post do meu querido LUFE, fiquei apreensiva e ao mesmo tempo convicta de que estou percorrendo o caminho correto.
Não existe forma mais gostosa e simbiótica de convivência do que a amizade! 
Sejam, portanto, amigos dos seus filhos! Estejam próximos dos seus corações sempre, antes que um(a) bandido(a) qualquer, transforme a ingenuidade em dor. E devaste tudo o que deveria habitar uma sólida construção de educação para o bem.
Faça a sua parte e tenha a sua consciência tranquila.
Os pequenos são responsabilidade nossa!!!

14 comentários:

  1. adorei... isso mesmo procuro fazer isso sempre...
    eu e minha pequena somos amigas e sempre falamos de tudo e sobre tudo...
    não concordo em uma mãe ser apenas altiva e carrasca apenas ter autoridade nos lábios...
    tem que sim sair dos lábios palavras que acalenta, ensina, educa, e ama acima de tudo...
    isso sim é ser mãe.... "mãe amiga" "amiga mãe"..
    bjo minha irmã linda....

    ResponderExcluir
  2. Poxa, antes de fazer qualquer comentário aqui fui ler o outro texto. E é assustador.
    Algumas pessoas são doentes. Essas coisas me revoltam.

    É preciso educação, conversa, cuidado, atenção.
    Às vezes os pequenos não tem malícia ou capacidade pra entender o risco que estão correndo. Por isso além de educar os pais realmente precisam estar vigiando de perto.

    Com o tempo os filhos vão entender que essa super-proteção é necessária...

    ResponderExcluir
  3. Oi!!!
    Gosto dos seus escritos.
    Quando chegar a fase da adolescência poderá sentir que esta é a altura, na qual mais distante se sente do seu filho. Aproxime-se dele meigamente e nunca ouse desrespeitar os seus amigos. Mostre-lhe os seus pontos de vista, mas jamais lhe faça proibições, porque isso será meio caminho andado para ele as voltar a realizar. O segredo reside na maneira como se fala com eles e na proximidade, que se consegue criar entre ambos.

    ResponderExcluir
  4. Menina, é importante dar liberdade ao filho para ele confesar algum problema que ele tenha, ai vai criando laços fortes...

    Fique com Deus, menina Fadinha.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. irmã do meu coração e da minha vida...
    linda que amo.. tem um selinho pra voceeeeeeeeeeeee....

    ResponderExcluir
  6. Oi Fadinha,
    E suas filhas têm muita sorte de ter uma mãe assim. Amor, orientação e atenção são muito importantes para a formação do caráter da pessoa.
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  7. Flavia querida!!!
    Que tarefa ardua essa a nossa de mae de adolescentes...vixie Maria, aprendo cada minuto que passa. E olha que eu achava que ia tirar de letra..rsrs!!!
    Adorei teu post, é isso aí, olho vivo e muita comunicação(mesmo que as vezes, seja um mero monólogo..rs).
    Beijocas!!

    ResponderExcluir
  8. Flavia,

    Muito legal o seu post.
    A gente tem que tentar mostrar a eles que o refugio mais seguro é a "barra da saia da mãe".
    Até hoje corro pra minha quando a coisa aperta...rs
    A gente tem que conversar muito, alertar, acarinhar, aconchegar, aconselhar, vigiar.

    bjo

    ResponderExcluir
  9. Flavia
    Cheguei aqu através do Alexandre do Lost in Japan e tive que parar para ler seu post masi recente. Temos que estar sempre perto e procurando conversar e mostrar a realidade. Qunatas coisas que estão hoje pela nossa frente nós não a vivemos no nosso tempo de crianças. Aprendemos na raça, no desespero.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi querida!!
    Nossa, educar os filhos é tão assustador às vezes...
    Sempre fui mãe-amiga do Gui. Às vezes mais mãe, outras mais amiga, e ele foi e é orientado de todas as formas possíveis.
    Mas Flávia, uma coisa que sempre pedi a Deus é para por boas pessoas no caminho dele. E hoje vejo que não estava errada. Porque ele está com 14 anos e nessa fase, minha amiga, os amigos são tudo! Graças a Deus que ele, sendo a boa pessoa que é, atrai para si tb. gente legal. Porque eles ficam influenciáveis mesmo. O que os amigos falam e fazem passa a ser lei. É incrível a mudança. Mas, negócio é ir seguindo a vida, e sempre com muito amor!!
    Querida, logo depois da meia noite vou colocar um post com presentinho procê. :D
    Beijão

    ResponderExcluir
  11. Fau, vc esta certissima em ser amiga de suas princesas. Isso faz com q elas tenham respeito por ti e nao medo. Eu me lmbro q meu pai dizia: Confiamos tanto nela, ela jamais nos esconderia algo. E era verdade. Qdo eu pensava em esconder lembrava do qto ele depositava sua confiança em mim e eu nao poderia trai-lo.
    Bjao, te adoro!

    ResponderExcluir
  12. Oi Flávia! que bom vc ter feito esse post. Vc é mãe, vc sabe o que fala. e qto mais as pessoas tiverem consciência deste fato, melhor.
    porque assusta... eu nunca pensaria que isso pudesse acontecer em um joguinho tipo fazendinha! e estão lá, adultos querendo pegar crianças, que horror isso...

    e temos que divulgar mesmo esse alerta!
    boa semana pra vc e pra Lu, maridão!
    bjs fiquem com Deus

    ResponderExcluir
  13. titia eu postei um comentario e a sinhora não respondeu.
    beiiiiiiiiiiiiiiijão
    deb.
    olha o meu blog e fala para a ana olhar tanben escrevi uma coiza que fala de
    Deus noso pai e criador.
    beiiiiiiiiiiiiiiiijão para a sinhora e para a ana.
    deb

    ResponderExcluir


VOLTE SEMPRE!!!!
 
BlogBlogs.Com.Br